Símbolo do Templo

As duas cobras entrelaçadas representam a subida da energia de Kundalini, aquela energia que sobe pela nossa coluna vertebral através dos nâddhis Ida, Shushuna e Pingala. Repare que esta cobra é verde, cor da fartura e também do Orixá Oxoce. Mas a cobra tem manchas corais de Yansã – Yansã quem faz a subida da Kundalini. Estes nâddhis, aqui representados pelas cobras, são a tradução do Caduceu de Hermes. O símbolo do deus Mercúrio, o Mensageiro. As cobras também representam a Sabedoria que será desperta nos seres humanos com o despertar da energia de Kundalini. Sabedoria é algo a ser conquistado por cada um. Ninguém recebe Sabedoria como se recebe Conhecimento.

As cobras estão ascensionando a energia de nossa base, sustentando o Sol, símbolo do Eu Superior, dos corpos Solares, da partícula divina que habita em todos nós. Este Sol é a nossa meta como seres encarnados. Qualquer Templo visa o despertar do Amor Universal no coração de cada um. Este é o simbolismo do Sol.

Inserido na Cobra temos o Triângulo amarelo, símbolo das Três Forças Básicas do Cosmos. É a manifestação da Divindade. As Cobras inserem o Triângulo, ou, de uma outra forma, as Três Forças Básicas (Pai, Mãe e Filho) estão “escondidas” pela Sabedoria. É preciso despertar a Sabedoria para receber a fagulha destas Forças.

Inserida no Triângulo temos a Lua, símbolo da Magia e do controle das emoções, pois só realiza a Verdadeira Magia, a chamada Teurgia, aquele que tem a proteção da Sabedoria e da compreensão das Forças que regem o Cosmos. A Lua está em roxo, cor associada ao Orixá Omolu e Nanã, ambos com o caráter da transcendência e da transmutação. Magia é a própria transmutação das coisas. Se realizando esta Magia, alcançamos o Sol.

As sete Estrelas é o símbolo do Caboclo Sete Estrelas. Inicialmente estas Estrelas não constavam do símbolo. Foram inseridas a pedido de Da Maria. Podem também ser entendidas como os sete Planos de Manifestação que devemos trilhar, como também, como os Sete Planetas Sagrados (Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno) representantes das sete Forças Geradoras de todo o Cosmos, amparandonos e realizando a Magia para alcançarmos a transcendência. Estas Estrelas também podem ser entendidas como estando o Templo em um processo de mudanças (acredito que isto será permanente) por estarem marcadas por cinco pontas.

Este símbolo ainda não está completo, como nada nesta vida está completo. A finalização é a própria morte. Assim, estamos sempre em mudanças. Há pouco tempo atrás, Da Maria, avisou que novos elementos seriam acrescentados a este símbolo, dependendo de alguns fatores. Até agora nada foi dito neste sentido. Mas, isto nos leva a crer que o símbolo de nosso Templo é a expressão da sua própria história e crescimento. Não pára, está sempre em mutação. Que bom!

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search