IMG_0528.jpg

UMBANDA, UM RESUMO

Umbanda, religião brasileira por adoção. Nascida em terras do Antigo Egito, quando seus Faraós e sacerdotes praticavam rituais semelhantes a aqueles realizados hoje em dia. Esta religião renasceu e floresceu em território brasileiro com muita desenvoltura, pois que sua liturgia, misto das mais diversas liturgias ocidentais e orientais, encontrou terreno fértil para adaptar-se ao povo brasileiro, já tão acostumado à mistura de raças e costumes. esta facilidade de nosso povo, na aceitação de diversas culturas e tradições, fez com que este ritual milenar renascesse junto a nós.

A Umbanda presta culto aos Orixás como uma qualidade manifesta de Deus. Sua compreensão dos Orixás a aproxima, e muito, dos frutos da Árvore da Vida dos kabalistas. A Umbanda não aceita o sacrifício animal em qualquer de seus rituais. Utiliza, para a sua magia, de ervas, flores, velas coloridas, fitas, certas bebidas, mel e qualquer outra dádiva da natureza que não ceife a vida. A Magia está contida na Umbanda de forma evidente. Aprende com o catolicismo e muitas outras religiões a defumar os ambientes para o culto; do judaísmo traz a compreensão dos Orixás; do Candomblé absorve o nome dos Orixás, seus mantras, instrumentos destinados aos cânticos e mitos fantásticos; das religiões orientais traz a noção do karma, a interpretação de Deus como Força Cósmica e o uso das Guias coloridas.

Muitas são as religiões que trabalham com o processo de incorporação, ou seja, preparam indivíduos para servirem de intermediários entre o Plano Material e os Planos Superiores de Manifestação. A Umbanda, sem dúvida é a que mais desenvolve esta faculdade. Seu ritual está, basicamente, centrado no processo mediúnico, seja por incorporação, seja por canalização. Umbanda, religião muito nova, que somente agora começa a codificar-se e estruturar-se como religião.

HINO À UMBANDA

Refletiu a Luz Divina,
Com todo seu esplendor,
Vem do Reino de Oxalá,
Onde há paz e amor.

Luz que refletiu na Terra,
Luz que refletiu no Mar,
Luz que veio de Aruanda,
Para tudo iluminar.

A Umbanda é paz e amor,
É um mundo cheio de Luz,
É força que nos da vida,
E a grandeza nos conduz.

Avante Filhos de fé,
Com a nossa Lei não há,
Levando ao mundo inteiro,
A Bandeira de Oxalá. (2x)

LITURGIAS E CELEBRAÇÕES

O Templo do Vale do Sol e da Lua está situado em Itaipuaçu, RJ, tem cerca de 150 médiuns e já concluiu em seu histórico mais de 50 coroações. Recebemos a cada trabalho de atendimento, um público composto por aproximadamente 300 pessoas.

batismo.jpg
BATISMO

Realizado desde tempos imemoriais, a Umbanda resgata o princípio da união do discernimento humano no corpo físico. É o momento da celebração e identificação de nossa essência divina, lavando-nos, através do elemento água, dos nossos instintos mais animalescos. É também a apresentação do batizando à religião e à toda Egrégora do Templo.

coroacao.jpg
COROAÇÃO

É a busca da divindade que habita em todos nós através do despertar dos Orixás que atuam sobre o ser. A coroação é um ritual muito antigo em que o indivíduo, através do recolhimento, ou seja, a morte simbólica do ser, experiencia a mudança de uma condição do nível de consciência a uma outra mais elevada e, consequentemente, mais sincrônica com a divindade. É um rito de Iniciação.

casamento.jpg
CASAMENTO

Dentro da visão umbandista, o casamento é a união de duas almas para celebrarem o amor. É realizado e celebrado enquanto o amor durar e não até que a morte os separe. Como cerimônia espiritual, é feita a união do Orixá masculino de um dos noivos com o Orixá feminino do outro. É a união de ambas as essências.

ezequias.jpg
PRECE DE EZÉQUIAS

Realizada para dar consciência àquele que passou pelo desencarne, da sua real condição. É a invocação da presença do morto, na presença de seus entes queridos, para que possa entender o momento que vivencia. Sendo grandes as dificuldades da alma neste momento, procuramos, com muita amorosidade, mostrar-lhe a realidade. Para nós o ritual de morte é um ritual de passagem de uma condição a outra, sem a perda da identidade da alma.