Como Realizar a Defumação

Download Como Realizar a Defumação.pdf (1225)

Para que a limpeza astral e psíquica de um ambiente seja bem feita e com bons resultados, devem ser feitas sempre duas defumações. A primeira irá limpar o ambiente e a segunda irá imantar este mesmo ambiente.

Antes de iniciar, coloca-se um copo com água sobre folhas de jornal, na porta de saída da casa ou do ambiente a ser limpo. A colocação do jornal é somente para aparar as brasas que ali serão despejadas e o copo com água para apagá-las.

Colocar o carvão para queimar. Para isto usar uma peneira de aço com o carvão dentro e colocá-la no fogo. Deixar o carvão ficar em brasa. Isto é muito importante, pois é a brasa a grande responsável pela absorção de energias negativas! Depositar as brasas em um turíbulo de cerâmica ou metal e iniciar a primeira defumação.

A primeira defumação é realizada do cômodo mais interno da casa para a porta da rua. Deve-se passar em todos os cômodos. Começa-se, por exemplo, nos quartos, passando pela sala, dependências, cozinha, terminando na porta de saída. Esta porta de saída deve ser aquela utilizada pelos moradores da residência para a passagem rotineira. O banheiro, normalmente, não necessita defumação, de vez ser um local por onde corre muita água e aonde normalmente depositamos todos os dejetos do nosso corpo. Já é um local de descarga!

Enquanto estiver realizando a primeira defumação, deve-se fechar as janelas e abrir as torneiras da casa. Este procedimento não permitirá que energias de todas as ordens fiquem dispersas por todos os locais.

Nos dias de hoje, quando a maioria das pessoas mora em apartamentos, cabe-nos preservar a integridade energética de todos os vizinhos. Fechando as janelas, direcionamos estas energias para a água corrente, o que não prejudica a ninguém. Ao terminar, se despeja as cinzas no jornal e joga-se a água por cima. Embrulha-se tudo com o jornal que deverá ser despachado, depois, na sarjeta da rua ou no lixo colocado fora de casa.

Ao fazer a defumação, deve-se entrar no cômodo, ir até o centro e deixar que as ervas queimem um pouco, pedindo para que todos os males sejam afastados. Ao colocar as ervas ou resinas no turíbulo, agradecer àquelas ervas e resinas por realizarem o trabalho de limpeza do ambiente. Depois, ir a um dos quatro cantos e fazer uma cruz, ir então ao canto oposto. Depois ir ao terceiro canto e, por último, ao quarto canto, que deverá coincidir com a porta de saída do cômodo. A defumação é sempre feita em X. Deve-se defumar muito bem atrás de cada porta, pois os cantos escondidos facilitam à impregnação de energias não muito boas, quando o ambiente não estiver em vibrações de paz e harmonia.

É importante notar que, sempre após fazer a defumação em um canto do cômodo, retorna-se ao centro, para então ir ao outro canto. Ao terminar a primeira defumação, espera-se cerca de dez minutos, abre-se todas as janelas e se fecha as torneiras e, após aguardar mais uns quinze minutos, inicia-se a segunda defumação. Coloca-se novamente o jornal com um copo d’água, na saída, com o mesmo fim da vez anterior.

Esta segunda defumação é feita da porta de saída para o cômodo mais interno, ou seja no sentido contrário da primeira. Percorre-se o sentido inverso do realizado anteriormente. Nesta segunda defumação, pede-se para que o ambiente esteja repleto de boas vibrações.

Agora pode-se pedir aos Guias e Protetores que imantem a nossa casa. Ao terminar, deixa-se as ervas e resinas queimarem até o fim, na sala, por exemplo. Depois, leva-se até a porta de saída, despeja-se tudo, joga-se o copo d’água e embrulha-se tudo no jornal.

A segunda defumação tem um caráter não de limpeza de um ambiente e, sim, de imantação do mesmo.

Daí a importância das duas defumações: uma limpa o ambiente, enquanto que a outra o imanta. Os resultados advindos de uma única defumação, no caso de um ambiente doméstico, são imprevisíveis. Podem dar bons resultados ou não.

 

MATERIAIS A SEREM USADOS NA PRIMEIRA DEFUMAÇÃO:

Dentre estes materiais, escolher três: palha de alho (sendo a do roxo a melhor), pó de café, pó de cânfora (cuidado, pois tem um cheiro muito ativo), fumo de rolo, asa féti (de cheiro muito forte), esterco seco de boi (é o melhor de todos, pois não dá cheiro ruim).

 

ERVAS E RESINAS A SEREM USADAS NA SEGUNDA DEFUMAÇÃO:

Neste caso a escolha das ervas e resinas dependerá do fim a se alcançar. Normalmente se utiliza as seguintes ervas ou resinas, sempre em número de três ou qualquer número ímpar: alfazema (para harmonização e amorização), alecrim (para se obter consolo e saúde), incenso (para se alcançar as vibrações mais espiritualizadas), benjoim (para se vencer medos e depressões) e mirra (para se obter a prosperidade e fartura).

O incenso, a mirra e o benjoim devem ser importados, de vez que o material nacional vem muito misturado com sebo, o que baixa o nível energético do produto, além de produzir mau cheiro e ser difícil de se manter aceso. Após as duas defumações pode-se se acender incensos em varetas. O uso puro e simples do incenso em varetas funciona somente para aromatização do ambiente. O melhor incenso em varetas é o indiano, de vez ser produzido sob a entonação de mantras.

O horário para a defumação é ao nascer ou ao por do Sol. Em qualquer fase lunar pode ser feita a defumação. O melhor dia da semana é às segundas-feiras, podendo ser realizada em qualquer outro dia. Além da defumação, para a perfeita limpeza da casa, deve-se passar um pano embebido em álcool canforado, em todos os espelhos, no primeiro dia de lua nova. Assim a limpeza psíquica, astral e espiritual da casa estará completa.

 

QUE A LUZ DO TEMPLO DO VALE DO SOL E DA LUA ILUMINE SEMPRE A SUA CAMINHADA!